QUE PAÍS É ESSE?!?!

QUE PAÍS É ESSE?!?! Enquanto a sociedade brasileira se encontrava chocada, comovida com a tragédia que vitimou 71 pessoas no pior acidente aéreo da história do futebol brasileiro, levando à morte quase que todo o time de futebol da Chapecoense, todo o seu estafe, jornalistas, autoridades, tripulação, enquanto isso, em Brasília, na calada da noite, os deputados federais na Câmara Federal, legislavam em causa própria, desfigurando por completo uma lei que foi enviada por um movimento popular, que tentava corrigir diversos desvios e irregularidades, que conduzem à impunidade. Numa manobra traiçoeira, revanchista e sacana, os deputados se colocam contra os anseios de toda a população brasileira, que através de um abaixo assinado com milhões de assinaturas, tentava aprovar uma lei para tornar o país um lugar melhor, menos impune. Dizem que a democracia é o melhor sistema político, pois permite que a vontade popular seja representando por políticos eleitos pelo voto direto, que vão à Brasília para representar a vontade de seus eleitores. Não sabemos em que momento ocorre essa dissociação entre a vontade popular e a vontade de legislar em causa própria. Talvez os ares do planalto central, com seus 6 meses de seca, de ventos fortes e sem chuva; talvez a altitude de aproximadamente 1000 metros do nível do mar, do planalto central; ou ainda o isolamento, a distância relativa da cidade, de quase 1000 km dos grandes centros urbanos. Enfim, em algum momento, os políticos em Brasília se esquecem da sua principal responsabilidade, de legislar em prol do bem comum, e passam a se preocupar apenas em conseguir os malfadados retornos, o percentual em todas as verbas liberadas para construir obras em seus “currais eleitorais”, perdendo a noção do que é público do privado. E brincando de fazer leis, para se beneficiarem dos mesmos, ou para se protegerem quando correm o risco de serem pegos com a boca na botija. A sociedade brasileira é muito nova. Ela começou a se estruturar de verdade há menos de 2 séculos. Antes disso, éramos apenas um grande latifúndio, com fazendas enormes, movidas pela mão de obra escrava, em grandes monoculturas de cana ou café. Ou cidades pequenas onde se vivia de comércio e serviços. A era de industrialização tem aproximadamente um século. Com ela, veio o desenvolvimento de grandes metrópoles e com ela, o desenvolvimento cultural e cientifico. Pois bem, essa sociedade nova, traz de berço alguns costumes que são difíceis de serem mudados, como o compadrio, o favorecimento de alguns poucos amigos e parentes nos negócios que envolvem o dinheiro público. A nossa justiça, carrega ainda em seu bojo, favorecimentos, como prisões especiais para pessoas de nível superior, o tratamento diferenciado para o criminoso rico do ladrão de galinhas e o foro privilegiado para autoridades e políticos com mandato. nosso sistema político, é ainda muito recente, pois vivemos muitos anos de exceção e ditatura, que fizeram com que os partidos políticos, e as nossas instituições de fiscalização ainda sejam jovens e inadequados. Os nossos partidos políticos não têm ideologia política, sendo apenas um amontoado de letras que não significam absolutamente nada, sendo as pequenas legendas apenas para servir de aluguel no processo eleitoral. O processo que move a sociedade para o caminho do amadurecimento e do crescimento, passa pela necessidade de manifestação dessa vontade popular, seja em manifestos, seja pelas suas lideranças, ou, atualmente, pela internet e pelos sites de relacionamento e de mensagens. Tais mecanismos tem causado uma obsolescência dos meios tradicionais de informação, pela televisão, jornais e rádio. As pessoas estão conectadas umas às outras e as informações se espalham como um rastilho de pólvora, causando um estrago tremendo na imagem de autoridades e políticos. Nesses tempos modernos, quem não se atualizou e se conectou às novas tecnologias, perde uma grande oportunidade de se inserir nesse mundo digitalizado. Nesses termos, a impressão que nós temos é que nossos políticos não perceberam as mudanças que ocorreram. Gastar dinheiro, produzindo releases que são impressos em jornais ou nos noticiários dos rádios e televisão, não tem mais o alcance que tinham antigamente. As pessoas têm acesso a fontes as mais diversas de informações, muitas delas independentes e desatrelados dos interesses desses políticos. Os blogs, os sites informativos, os canais de notícias por assinatura, enfim, hoje, a informação é obtida de maneira muito mais democrática e livre. A Operação Lava Jato, que investiga as entranhas do sistema de corrupção que se instalou no país, após a ascensão do PT ao poder, configurou uma expectativa e um sopro de esperança nos corações dos brasileiros, já fartos de saber do sistema de enriquecimento estrondoso de políticos e burocratas pelo Brasil afora, através da institucionalização de esquemas de cobrança de propinas em praticamente todas as instâncias das atividades que envolviam dinheiro público. Em seu bojo, centenas de políticos estão entre os acusados de receber propinas e caixa dois de empreiteiras e de empresas, sob a cândida explicação de arrecadar dinheiro para pagar despesas eleitorais. Quando os deputados perceberam que de madrugada os jornais por assinaturas, os blogueiros e demais pessoas estariam descansando, ainda mais numa ressaca de emoções de um dia tenso, com o povo comovido pelas noticias da tragédia do acidente aéreo, os políticos de praticamente todos os matizes, principalmente daqueles que se encontram apoiando o governo atual, não tiveram dúvidas em propor emendas parlamentares que tentaram colocar as autoridades da Lava Jato sob pressão. A reação não se fez esperar,seja da Ministra Cármen Lúcia, uma sóbria presidente do STF, seja do Procurador Geral da República e dos promotores e procuradores da Lava Jato. A população, mais uma vez, está indignada com a vileza e a torpeza da classe política. Por isso, quando descobrimos que de nossa bancada de oito deputados federais, quase todos, com exceção de Mandetta, votaram a favor das emendas que desfiguraram o projeto de lei elaborado pela sociedade para combater a corrupção, isto serve de alerta para lembrarmos na próxima eleição, quando esses deputados baterem à nossa porta, para pedir o voto. Nós iremos nos lembrar com carinho de Zeca do PT, Dagoberto Nogueira, Tereza Cristina, Geraldo Resende, Carlos Marun e Vander Loubet nas próximas eleições!!! Nos aguardem!!!

publicado por drtakeshimatsubara às 11:19 | comentar | favorito