DISCIPLINA

A humanidade, vive de ciclos, de expansão e retração, sístole e diástole, yin e yang. São movimentos complementares, onde um completa o outro. Até a década de 50, tivemos uma fase conservadora, conseqüência da era vitoriana, onde a moral e os bons costumes pregavam que a mulher devia se casar virgem, os pais castigavam os filhos com palmatórias, cintos e outros apetrechos, e a moda refletia isso, com saias longas, para as mocinhas e os rapazes de terninhos e outras roupas hoje tidas como caretas.
De repente, tivemos a década de 60, onde tivemos várias revoluções que sacudiram nosso mundo: Foi inventada a pílula anticoncepcional, e isto ocasionou os movimentos pelo amor livre, os hippies e os festivais de rock. Tivemos também a revolução dos estudantes, que começou em Paris e se espalhou pelo mundo todo, rebelando-se contra o modelo de educação conservador nas universidades; tivemos uma mudança intensa nos costumes, pois a sociedade passou a questionar avirgindade, o casamento para a vida toda, o aborto, etc.
Diante de tanta transformação, no sistema pedagógico, começou a imperar um modelo piagetiano, (Jean Piaget 1896-1980), que pregava que as crianças deviam ser deixadas livres, sem amarras e que os educadores não deviam tolher a liberdade criativa das criancas. Isto causou uma profunda transformação no modo de pensar e educar no mundo todo.
Associado a isso tudo, veio o Estatuto da Criança e do Adolescente, (Lei 8069 de 13 de Julho de 1990), que apesar de todos os seus progressos e virtudes, veio confundir a cabeça dos pais e colocar medo neles, pois qualquer ação sobre seus filhos poderia ser motivo para ser achincalhado pelo Conselho Tutelar.
Diante de tudo isso, os pais se sentem totalmente inseguros sobre como conduzir a educação dos seus filhos. Alguns, optam por deixar o barco correr, esperando que a escola dê a educação que o seu filho precisa.

CONTINUA NO PRÓXIMO POST

publicado por drtakeshimatsubara às 01:45 | comentar | favorito