ALEITAMENTO MATERNO

Uma das perguntas mais freqüentes, em consultório de pediatria, é em relação à alimentação.
O aleitamento materno, sem dúvida alguma, é um dos atos mais maravilhosos e divinos na vida da mulher que têm essa possibilidade, pois, a cada dia que passa, as pesquisas mostram novas surpresas sobre a propriedade do leite materno. Por exemplo, ele tem uma composição diferente, dependendo da idade do lactente, se ele for prematuro, ou se o dia estiver mais quente, ou mais frio, a composição muda, acompanhando a necessidade do seu filho. Além disso, é sabido por todos que o colostro, aquela “aguinha” que toda mãe produz nos primeiros dias do aleitamento, tem uma composição riquíssima em anticorpos, seria como uma vacina, que vai proteger o bebê nos primeiros meses de vida, para que o mesmo possa enfrentar os vírus, bactérias e fungos que tentam causar doenças. Além disso, o ato de amamentar, é carregado de toda uma energia positiva, que fortalece a relação mamãe-bebê, criando vínculos que perdurarão por toda a vida de ambos.
Existem alguns “segredinhos” que precisam ser conhecidos pelas mães, cujo desconhecimento, é causa freqüente de interrupção precoce do aleitamento. Após a descida do colostro, este precisa ser esgotado, o que dura em média de um a dois dias, para permitir a descida do leite, propriamente dito. O fator primordial que provoca a produção do leite, é a sucção do bico do peito, pelo neném. Quanto mais forte a sucção, mais rápido a descida do leite. Além disso, após alguns dias, em torno de 7 dias, existe uma produção exagerada, que faz com que o leite vaze, chegue mesmo a esguichar longe, molhando a roupa da mãe. Como a criança não dá conta de toda a produção, o cérebro manda uma ordem para a mama produzir menos leite, ocasionando uma diminuição, em geral por volta dos quinze dias desde o inicio do processo. Nesta hora, uma grande quantidade de mães, por desconhecer o mecanismo, fica preocupada, achando que o seu filho está passando fome, e tasca uma mamadeira de leite, em geral leite Nan. Neste momento, a grande maioria das mães interrompe o aleitamento, por desinformação.
Portanto, precisamos disseminar conhecimento sobre aleitamento, pois a nossa sociedade está saindo de uma geração que deu muita ênfase para o aleitamento artificial, devido a interesses escusos, e muita informação foi perdida. Muitas das avós de hoje, não amamentaram seus filhos e por isso, desconhecem algumas informações importantes para passar para suas filhas que estão procurando resgatar essa medida de alimentar os seus filhos, que ela sabe ser melhor para o seu filho.

publicado por drtakeshimatsubara às 01:46 | comentar | favorito