MOMENTO POLÍTICO DE DOURADOS, II

MOMENTO POLÍTICO DE DOURADOS II No próximo domingo, 06 de fevereiro de 2011, estaremos participando das eleições extemporâneas para eleger o prefeito que irá terminar o mandato interrompido de Ari Artuzi. Surge como candidato com chances reais de vitória o ex vice-governador, Murilo Zauith. Em que pesem nossas reservas quanto a nomeação da candidata à vice-prefeita, Dinaci Ranzi, nossa velha conhecida, que dirigiu o Hospital Universitário de 2003 a 2008 e criou uma legião de inimigos, devido à sua maneira peculiar de exercer o mandato e o poder, cumprindo aquele velho ditado: “Queres conhecer alguém? Dê-lhe poder”. Porém, passado o vendaval político, que quase destruiu nossa cidade e a varreu do mapa, após o drama vivido com duas operações policiais, Owari em 2009 e Uragano, em 2010, a cidade de Dourados se vê a frente com nova possibilidade de resgate de sua história. O que causou estranheza a todos, e um movimento de rebelião numa ala do Partido dos Trabalhadores, foi a coligação que juntou o DEM, de Murilo, com o PT, de Dinaci Ranzi. Pois, em nosso Estado de Mato Grosso do Sul, são partidos que defenderam bandeiras históricas diferentes. Enquanto o PT era um partido mais a esquerda, que defendia os movimentos sociais, o MST, os trabalhadores, os indígenas e outros movimentos parecidos, o DEM era um partido que defendeu o industrial, o fazendeiro, o comerciante, enfim, teve sempre uma posição mais à direita, mais conservadora, na política. Além disso, a coligação com 15 partidos políticos que apóiam Murilo tem a junção de praticamente todos os partidos mais importantes no Estado, começando pelo PSDB, PMDB, PPS, PSB, PT, PR e outros partidos. Ao mesmo tempo em que isso pode ser considerado como algo inédito e que causa esperança nos mais otimistas, causa preocupação, pois em nosso país, aliança política significa fisiologismo, distribuição de cargos, loteamento de espaços políticos. Apesar de muitos considerarem Murilo uma pessoa que não tem o perfil político dos grandes líderes, pois lhe falta carisma e seu discurso é ruim, não empolgando as multidões, ao mesmo tempo, ele é muito respeitado no meio político, por ser um homem de caráter, um empreendedor e um grande administrador, que consegue sair incólume de acusações de corrupção e malversação de dinheiro público. Até mesmo porque é um homem rico, casado com a herdeira de um império de educação como o é, a UNIGRAN e a Universidade de Mogi das Cruzes, em São Paulo, com dezenas de milhares de alunos matriculados. O que eu sempre admirei em Murilo é o seu jeito de fazer política. Diferente de seus companheiros do Estado, Murilo tem um postura ética, de não divulgar suas realizações. Diferente de outro Deputado Federal, que compra espaço em todos os jornais da cidade, para divulgar suas “realizações”, divulgando aos quatro cantos que ele fez isso, que conseguiu tantos milhões para a região, que falou com o presidente, com o bispo, com o papa, etc. Murilo não, ele não gosta de propagandear suas realizações. Nós que conhecemos um pouco o meio, sabemos de muitas verbas que ele conseguiu, de muitas obras que ele conseguiu realizar com dinheiro público, mas ele não gosta de aparecer. Com isso, o público, acostumado os políticos sensacionalistas, acha que Murilo não faz nada, que ele passou pelos cargos e não trouxe verbas ou que não realizou obras. Por exemplo, nós sabemos que uma parte importante do recapeamento das ruas da cidade é mérito dele, assim como a reforma do aeroporto de Dourados, as obras de saneamento, a duplicação da rodovia que liga Dourados a Itaporã, do sistema de esgotos em Dourados, enfim, ele se comporta de maneira diferente dos outros políticos e, com isso, a população acha que ele não faz nada, criticando-o de maneira injusta. Com a virtual eleição de Murilo, nós cidadãos que amamos Dourados, ficamos na expectativa de vermos uma reconstrução, com a nomeação de bons nomes para os diferentes cargos de secretários, principalmente os de Saúde e de Educação, que são as duas pastas mais importantes de qualquer município, pois dispõe de verbas de grande vulto e uma importância estratégica para a população. Além disso, em sendo ele engenheiro, esperamos que o mesmo consiga ter uma imagem mais global e moderna de nossa cidade, construindo vias expressas que interliguem os diversos bairros, que construa áreas para o convívio social, centros de lazer, que urbanize os parques e praças de nossa cidade, enfim, que ajude a refazer nossa auto-estima, tão abalada e rebaixada nos últimos anos. Fica também a expectativa de que, ao se aliar ao Senador Delcídio, ele possa trazer verbas federais nos mais diversos setores, criando uma infra-estrutura que permita o crescimento continuado de nossa cidade e da nossa região. Fala-se tanto na ferrovia que interligaria Maracajú e Dourados a Cascavel no Paraná, para escoar nossa produção agrícola. Fala=se na estruturação do nosso aeroporto municipal, para permitir que aviões de maior porte possam descer em nossa cidade, livrando-nos da necessidade de locomovermos em nossos carros até Campo Grande, para lá podermos embarcar em nossos vôos para o resto do país. Fala-se em industrializar nossa produção, que é uma das maiores do Estado, para agregarmos valor, passando a vender produtos manufaturados em vez de vender grãos de milho ou soja e carne resfriada. A sensação que temos, após vivermos 23 anos em Dourados, é de que, com raras exceções, Dourados perdeu o bonde da história, ficando parada no tempo, isolada, fechada em sua insignificância, enquanto outras cidades, como Campo Grande, Três Lagoas, Corumbá, Naviraí e outras, cresciam e se industrializavam, Dourados ficou fora desse eixo de desenvolvimento, principalmente por culpa de nossos políticos, que têm uma visão tacanha e pequena, não reconhecendo a nossa importância e permitindo sempre que políticos de fora, principalmente de Campo Grande, dêem seus palpites em nossos destinos, sempre atuando para não permitir nosso crescimento. Reconhecemos que a implantação da UFGD foi importante, para nos permitir tornar-se um pólo educacional, que ocasionou um crescimento da área de serviços e de comércio. Mas isso isoladamente, não tem trazido todo o crescimento em toda a sua potencialidade. Esperamos que com a eleição de Murilo e do seu grupo político, Dourados possa efetivamente ocupar o seu lugar de importância em nosso Estado, tornando-se, além de pólo educacional, um pólo industrial, um pólo de desenvolvimento de novas tecnologias de alimentação, de tecnologia de ponta, para que a riqueza que aqui existe, seja multiplicada e gere o crescimento e o desenvolvimento de nossa população como um todo. Fica aqui a nossa esperança de dias melhores.
publicado por drtakeshimatsubara às 22:12 | comentar | favorito