A ESQUERDA BRASILEIRA

A ESQUERDA BRASILEIRA
A esquerda brasileira é extremamente interessante.
Hoje, o ambiente onde mais prospera a ideologia da esquerda no Brasil são as universidades, o funcionalismo público e ainda algumas correntes da igreja.
Eles nos chamam de burgueses, de pessoas que não gostam de sentir cheiro de pobreza no ar.
Concordo em parte com eles. Temos dois Brasis, um rico e um pobre. Peguemos cada cidade deste país, e veremos que temos os chamados bairros nobres, com mansões, com garagens cheias de carros, e no outro extremo, temos os chamados bairros de periferias e as favelas. Os valores e a realidade de cada ambiente é totalmente o oposto ao do outro. Se temos empresários, fazendeiros, profissionais liberais bem sucedidos, morando nos bairros nobres, têm, por outro lado, empregadas, garçons, vigias, faxineiros, ou mesmo, pessoas desempregadas, morando nos bairros ditos periféricos. Cada ambiente tem os seus locais de lazer, os seus bairros, os restaurantes de um não são frequentados pelos outros, etc. Na verdade, é como se um muro dividisse a cidade, entre ricos e pobres.
A maneira que a esquerda quer atuar, em tese, para resolver o problema, passa pelo empobrecimento dos ricos e pelo enriquecimento dos pobres, tirando de uns e dando para os outros.
Neste momento, é que eu lanço um desafio para as esquerdas do Brasil. Por que é que, ao invés de fazer isso com o dinheiro alheio, os petistas não fazem isso com o próprio dinheiro de seus bolsos?
A lógica sempre foi realizar uma revolução, fazer reforma agrária, socializar empresas e bancos e dar posse ao povo dessas riquezas. Pois eu desafio os esquerdistas a não esperarem por essa revolução e começarem a dar o próprio exemplo. O professor universitário, que ganha o seu salario, vai pegar a metade dele e distribuir para os pobres. O mesmo vale para o funcionário publico. Divida o seu salario com o pobre. Afinal você morre de amores pelos pobres, tome então a iniciativa de pegar metade de tudo que você tem e ganha e divida com os pobres. Não faça isso com o dinheiro alheio, faça isso com o seu próprio bolso. Pegue a sua casa e divida ao meio, dê a metade dela para o irmãozinho que mora embaixo da ponte. Na sua mesa de jantar, coloque uma mesa do mesmo tamanho e dê de comer para o irmãozinho. Pegue o seu carro, venda e compre duas motos, uma para você, outra para você dar para o seu irmão que mora com você.
Ué, não gostaram da sugestão? Acharam tudo uma grande bobagem? E porque é que você quer fazer isso com o meu bolso? Pois não é isso que vocês vivem a propagar?
Ah, pimenta nos olhos dos outros é refresco, não é mesmo?
Pois é, foi por isso que a União Soviética desmoronou, há 26 anos. Porque, embora em tese todos fossem iguais, havia uma nomenclatura, de altos burocratas do governo, que tinham limusines, que tinham casas de praia no Volga, que podiam comer caviar, enquanto o povo tinha que se digladiar todos os dias por um pedaço de pão, por um rolo de papel higiênico. É o que está ocorrendo hoje na Venezuela, onde os chavistas têm de tudo, enquanto o povão está passando fome. Aconteceu no passado e se vocês insistirem nessa barca furada, vai acontecer de novo e de novo.
Eu já militei em partido de esquerda e o que eu vi, foram os meus companheiros se esbaldando com as benesses do poder, com a riqueza, com o luxo. Vi companheiro saindo da periferia e comprando mansões em bairro nobre, comprando carros de luxo, adorando viajar de avião e se hospedando em hotéis 5 estrelas em Brasilia. Quando vemos o sobrinho do Zeca do PT fazendo um vídeo de gozação aos reclamos da chamada direita, da burguesia, embarcado num carro importado de alto luxo, com cara de ter cheirado todas, não me contive diante da imensa contradição entre o que era dito e o que era feito pelo dito cujo. Não me lembro de ter visto nenhum esquerdista se lembrando de e tentando ajudar os pobres com a sua súbita riqueza obtida.
Na verdade, a única forma de socialismo que já funcionou até os dias de hoje, foi aquela que ocorrera lá nos primórdios do cristianismo, onde aqueles que foram tocados por Cristo e convertidos ao cristianismo, deixavam tudo o que tinham, davam as suas casas, as suas riquezas em doação para a igreja, e seguiam a Cristo. Dividiam o pão, cuidavam dos enfermos, davam assistência aos necessitados, independente de serem nobres ou escravos. Como houve momentos de forte perseguição aos cristãos, eles tinham que se reunir nas catacumbas, para poder rezar, receber a comunhão, ler as escrituras sagradas. E dividiam tudo, até mesmo a roupa que vestiam.
O que eu quero dizer, é que a única forma de haver justiça social é através do amor, da doação, do desprendimento dos bens materiais por resolução pessoal de cada um, não por decreto, não através da força das armas, não pela imposição. Nada disso que vocês forem tentar, em nome de uma justiça social, vai dar resultado em longo prazo.
Vamos quebrar o muro que divide as cidades. Façamos uma visita à casa de nossa faxineira, do vigia que cuida de nossa empresa, conversemos com ele, procuremos saber de sua realidade, de suas necessidades, procuremos ajudar as pessoas que realmente precisam de ajuda, tudo aquilo que é feito massivamente está sujeito a cometer erros, injustiças, a ajudar os malandros e oportunistas de plantão.
Talvez assim, façamos a verdadeira revolução de diminuir as injustiças, de quebrar muros e divisórias que nos dividem que nos isolam no medo e no rancor, uns dos outros. Quem sabe assim, quebremos um pouco essa divisão social, que é muito pior que o preconceito racial, essa burrice de dividir brasileiros do norte aos do sul, aos da banda de cima da Marcelino Pires dos da banda de baixo, etc. Veremos assim, que somos todos irmãos, filhos do mesmo Deus, que torcemos por diferentes times, que acreditamos numa determinada ideologia, em detrimento de outra, mas que isso, não nos torna inimigos mortais, que só poderemos resolver isso, destruindo, matando, aniquilando o nosso opositor.
Quem sabe?
publicado por drtakeshimatsubara às 13:43 | comentar | favorito