JOSE MAYER E O BRASIL

JOSÉ MAYER E O BRASIL O escândalo que explodiu esta semana com uma figurinista da Globo, Susllen Tonani, denunciando o ator José Mayer, de 67 anos, por assédio moral e sexual, repercutiu bastante. A nossa sociedade e a nossa cultura brasileira são muito jovens. Em pouco mais de 150 anos, saímos de uma sociedade escravocrata, para uma democracia moderna. Isso faz com que tenhamos certos resquícios de sociedade antiga se misturando com a modernidade. Existem momentos, em que a casa grande e a senzala se misturam com os arranha céus e o passado retorna com força total, misturando-se com o presente. Nesses momentos, esses traços da nossa sociedade patriarcal, arcaica e machista, arvoram e aparecem com força total manifestando o contraste que é a nossa sociedade. Li a entrevista da figurinista ao blog. Nela, ela fala de toda a humilhação de uma jovem de 28 anos, branca, bonita, cheia de sonhos, que foi trabalhar na maior rede de televisão do país, no Rio de Janeiro. A grande maioria dos crimes e infrações são cometidas por pessoas que apostam na impunidade. No caso do ator, estrela que atua como protagonista em filmes, novelas e seriados, a sua superioridade era inquestionável, em sua ótica, para poder prevalecer acima de qualquer menina que trabalhasse para ele, uma mucama, uma serviçal sobre a qual ele poderia exercer toda a sua autoridade, de maneira inquestionável. O Brasil está mudando a passos largos. As pessoas tem dificuldade de perceber que essas mudanças vêm para ficar. Quando a figurinista tomou a iniciativa de dar um basta em suas humilhações, muitas pessoas, inclusive mulheres, acharam a atitude errada. Algumas, questionaram dizendo que ela estava apenas querendo aparecer, ter seus quinze minutos de fama. Outras, não viam mal algum em a mulher levar umas cantadas, ser alvo de piadas machistas, de ser coisificada, transformada em objeto. Uma sociedade amadurecida e culta, é aquela em que as pessoas são donas do seu corpo e dos seus atos. Mas tudo, respeitando o limite do outro. Em alguns países da Europa, uma mulher pode usar uma microssaia, mostrando suas calcinhas, mas o homem que a olhar de maneira despudorada, será denunciado à policia, podendo inclusive ser preso por assédio sexual. O assédio moral e o sexual são dois atos que somente recentemente têm sido reconhecidos como crimes, tanto é que a legislação brasileira ainda não possuem leis federais que tipifiquem ambos e tenham uma apenação adequada. A maioria dos julgamentos são feitos por jurisprudências baseadas em leis estaduais ou municipais. Até a década de 80 do século passado, as manifestações ríspidas e repetitivas, de maneira a humilhar o seu subordinado, era tido como uma maneira de a empresa obter um ganho de produtividade. Após a Constituição de 1988, quando foram estabelecidos princípios sobre direitos humanos e sobre o respeito à dignidade humana, houve uma mudança total na compreensão desses atos. Passou-se a perceber que o chefe agressivo e assediador adoecia seus subordinados, com aumentos dos índices de quadros psiquiátricos, de ansiedade, depressão e até mesmo de suicídio. Que um ambiente agressivo e conflitante, diminuía a produtividade de todos, ao invés de aumentar, como se imaginara no passado. A partir dessa percepção, estudos começaram a ser feitos, e alguns Estados e municípios começaram a elaborar leis tipificando o assédio moral e transformando em crime passíveis de punição. Portanto, ao se lidar com o novo, muitos de nós nos sentimos perdidos, pois atitudes e condutas que eram tidas como normais no passado, hoje não são mais. Ao ouvir musicas e cantigas de ninar do passado, como “Atirei um pau no gato” ou “Boi da cara preta”, hoje achamos as letras politicamente incorretas, pois eram musicas que incentivavam a judiar dos animais ou a fomentar o medo nas crianças. Os humoristas do passado, tinham em seu arsenal sempre uma piada sexista, sobre homossexuais, pretos, judeus, japoneses e outros. Hoje, tais humoristas morreriam de fome, ou estariam presos, por homofobia, ou racismo. Neste processo, muitas pessoas têm dificuldade de rever os seus conceitos, de mudar suas opiniões, de mudar o seu olhar sobre fatos e sobre as pessoas. E com isso, temos incidentes como o ocorrido com o ator José Mayer. Toda mudança gera ansiedade e medo. Em toda crise, nós destruímos um modelo do passado e reconstruímos um novo modelo, baseado em novos valores. A sociedade brasileira terá que .adotar, em conjunto, essa postura de mudar, de avançar, de deixar o passado para trás, para adentrarmos o século XXI baseado em novos valores e com novos conceitos. Onde os traços de nosso comportamento machista, sexista, de exploração do trabalho escravo, fiquem no passado, nos séculos XIX e XX. Que hoje, tenhamos um novo olhar sobre as pessoas, respeitando as diferenças e a potencialidade de cada ser humano, o tempo de cada um, os limites e as limitações do outro. Obrigado, José Mayer, você serviu para nos mostrar o quanto nós ainda temos que avançar, se quisermos ser membros de uma sociedade moderna e progressista. Se a sua carta de pedido de desculpas foi sincero e suas palavras vieram do seu coração, parabéns. Se não foi, e se tratou apenas de uma peça de propaganda, você receberá o julgamento da história, e terá o seu lugar no panteão dos grandes vilões de nossa historia, como o anti-herói sem caráter, um velho que não percebeu queo tempo passou e mudou. Aguardemos o desenrolar dos fatos...

publicado por drtakeshimatsubara às 18:48 | comentar | favorito