VIDA MODERNA

 

Vida moderna

Almoçando num restaurante do shopping de Campo Grande, chamou minha atenção o comportamento das pessoas.
Numa mesa, sentaram-se duas moças parecidas uma com a outra, provavelmente duas irmãs. As mesmas, cada uma com seu celular, não trocaram uma palavra, cada uma interagindo com a tela do smartphone, mas não entre si. Passaram o almoço todo sem trocar uma palavra, uma com a outra.
Em outra mesa, sentou-se um pai com dois filhos. Provavelmente, pais separados, com o final de semana para o pai. Da mesma forma, o pai, não trocou uma palavra com seus filhos, permanecendo o tempo todo interagindo com seu celular. O irmão mais velho, também tinha o seu celular e jogava algum jogo. O irmão mais novo olhava para o lado, ora incomodava seu irmão mais velho
Numa terceira mesa, um casal de jovens, com uma senhora idosa, talvez a avó de um deles, também permaneceu o tempo todo calada, olhando ora para um, ora para outro, mas sem participar ativamente da conversa.
Cabe aqui uma reflexão: vemos adolescentes e jovens desajustados, com problemas de comportamento, de consumo de drogas ilícitas, com síndrome do pânico, que se cortam, etc., todos lotando consultórios de psicólogos e psiquiatras aos montes. Quando se investiga a fundo, vemos pessoas carentes, que não se sentem amadas por seus pais, que se sentem abandonadas pela família. Vemos famílias ricas, morando em seus palacetes, com carros importados na garagem, mas famílias sem amor.
Em algum momento, nós nos perdemos na estrada da vida, correndo atrás de ilusões, de dinheiro, de poder, de riquezas, e nos esquecemos das pessoas, dos nossos entes amados.
Ficamos tão cansados das dificuldades do dia a dia, que nos esquecemos da conversa, olho no olho, daquela conversa jogada fora, das piadas sem graça, do simples brincar. Interagindo com nossas maquininhas, esquecemos das pessoas que estão ao nosso redor. Depois, a vida passa, nós envelhecemos, ficamos ricos, com grande poder econômico e politico, mas nós nos sentimos sozinhos no mundo.
A vida é muito curta. Num átimo, se passam décadas e finalmente, quando nós nos damos conta, ela foi desperdiçada conosco correndo atrás de moinhos de vento!
Vivamos intensamente o presente! A depressão, o deprimido, é aquela pessoa que vive do passado, olhando apenas para o passado. O sujeito ansioso, vive somente o amanhã, olhando apenas para o futuro. A nossa vida, é feita de um presente bem vivido. Se aquelas irmãs do início do texto, largassem seus celulares e trocassem confidencias, trocassem seus sonhos, suas expectativas, talvez elas pudessem se amar mais. Se aquele pai pudesse ouvir as experiencias de seus filhos durante a semana, do que eles brincaram, o que a professora ensinou para eles, talvez ele pudesse participar da vida de seus filhos, mesmo não morando junto deles. Se o casal pudesse ouvir as experiencias da avó, as historias que ela já deve ter vivido, a experiencia acumulada, talvez pudessem aprender alguma coisa. Aliás, aprenderiam muita coisa!!!
Enfim, precisamos repensar nosso modo de viver. Para que nós precisaremos adquirir tantos tesouros na terra? Porque nós precisamos morar num palacete com dez quartos, se nós somos um só e só podemos dormir num único lugar, por noite? Para que precisamos de um carro importado, que corre a 300 km/hora, se nas estradas, o máximo permitido é 120 Km/h? Porque termos tanto dinheiro, se não podemos levar para a outra vida? Se ainda não inventaram caixão com gavetas? Não dá para fazermos depósitos de dinheiro nos bancos do além túmulo! Dinheiro em excesso só serve para causar desentendimentos e brigas de herdeiros.
Viver de forma mais simples, sem desperdiçarmos nosso tempo, olhando aquelas bobagens que os amigos escrevem nos grupos de Whatsapp. Invejando as fotos de viagens para o exterior dos amigos no Facebook. Isso tudo faz mal, é tempo desperdiçado. E tempo, é algo por demais precioso!
Vamos nos desapegar um pouco de nossas ilusões e olharmos ao nosso lado? Podemos ter alguém muito querido, pedindo socorro, implorando por um olhar, por um gesto de carinho! Pensemos nisso!!!

publicado por drtakeshimatsubara às 20:22 | comentar | favorito