A HOMEOPATIA E SUAS DIFERENTES ESCOLAS

A HOMEOPATIA E SUAS DIFERENTES ESCOLAS.

Fundada na Alemanha em 1796 pelo médico Samuel Hahnemann, a homeopatia ganhou o mundo, tornando-se extremamente popular na Europa toda, durante o século XIX, até chegar aos Estados Unidos, onde também se difundiu enormemente.
Depois de Samuel Hahnemann, o médico americano, James Tyler Kent, foi a segunda figura mais importante para a história da homeopatia, desenvolvendo diversos estudos, criando novos medicamentos, desenvolvendo o chamado repertório médico, que é o mecanismo que nós homeopatas utilizamos até os dias de hoje, para descobrir qual o medicamento homeopático mais indicado, a chamada repertorizacao homeopática. O repertório é um livro grosso, cujos capítulos são divididos pelos sintomas mentais, gerais e locais.
A descoberta de cada novo medicamento é feito pela chamada experimentação em pessoas sadias. Ou seja, faz-se um estudo cientifico, onde um determinado remedio homeopático novo é tomado por um determinado período. Aquela pessoa, descreve num caderno, todos os sintomas que ele observa em seu corpo e no seu mental. A junção de todos esses materiais é transformado na chamada matéria médica daquele determinado remedio.
Ao se fazer o estudo das matérias médicas, notamos que determinado remedio causa tais e tais sintomas Por exemplo que o medicamento Arsenicum álbum provoca, se tomado por uma pessoa sadia, o sintoma de ansiedade, de queimação na pele, diarreia, vômitos, perda de peso rápida, etc. Na rubrica do repertório, no sintoma ansiedade, diarreia, vômitos queimação de pele, etc, vou ter o medicamento Arsenicum álbum. Se numa consulta o paciente me diz que ele é ansioso, que tem a sensação de queimação na pele, que ele costuma ter diarreias volumosas e que desidratam rapidamente, etc, vou prescrever Arsenicum álbum para aquele paciente.
Ao longo da história da homeopatia, a mesma foi dividida em duas escolas, uma tradicional, hahnemaniana, que prescrevia um único remedio para cada paciente, as vezes esse mesmo remedio é tomado a vida toda pelo paciente, em diferentes potencias e dinamizaçoes. Já a escola francesa, aquela que eu sigo, usa mais de um remedio para cada paciente. São as escolas unicistas, de um único remedio para o paciente e a escola pluralista, de vários remédios para cada paciente. Isto se deve a um viés filosófico, de acordo com cada escola. Os unicistas, acreditam que todos os sintomas são provenientes apenas da mente e que um único remedio, que cubra todos os siotomas, é suficiente para tratar o doente. Já a escola francesa, a pluralista, acredita no chamado organicismo, ou seja, alem da mente doente, temos os órgãos que adoecem e ambos precisam ser tratados, ou seja, o corpo e a mente. Está é uma discussão tremenda nas associações e entidades que englobam os médicos homeopatas, sendo que os unicistas dizem que os organicistas não são homeopatas e com isso, menosprezando o trabalho destes. Tanto é que o critério para voce ser admitido nas entidades de classse dos homeopatas é que vc não seja um pluralista. Eu sempre enxerguei tudo isso como ma grande bobagem e por isso, nunca fiz questão de participar dessas entidades.
O fato de eu ter me tornado pluralista, embora tenha me formado por uma escola unicista, foi o fato de eu ter feito estagio e de ter aprendido a pratica homeopata com o dr. Archiduque Fernandes, que sempre defendeu esta pratica de mais de um remedio por prescrição. Como se diz no futebol, estou há 30 anos nessa pratica e como sempre obtive bons resultados, não vejo motivo para mudar. Ou seja, em time que esta ganhando, não se muda os jogadores. Embora algumas vezes eu pratique o unicismo, não me vejo preso a isso e essa liberdade, dá para mim uma margem de acerto para os paciente muito maior. Acredito que beneficiar o paciente esteja acima das brigas politicas entre os médicos homeopatas do Brasil.
Como vou citar no próximo capitulo, a medicina homeopática sempre viveu a perseguição das entidades de classe e da ciência medica tradicional, diga-se, industria farmacêutica. Cada vez que um medico homeopata trata um paciente e deixa de usar os medicamentos da industria farmacêutica, ele esta contribuindo para diminuir os lucros de tal industria. Se muitos médicos iniciam essa pratica, ela pode prejudicar de maneira mais contundente todo o esquema de enriquecimento dessa industria.
Por isso, é com extrema tristeza que eu assisto essa briga entre os próprios médicos homeopatas, principalmente dos unicistas, de perseguir e falar mal dos pluralistas, quando a união nesse mar com tantos cardumes de tubarões, seria muito mais vantajoso para todos.
No próximo capitulo, vou descrever com mais detalhes essa perseguição da industria farmacêutica sobre a homeopatia e como ela quase acabou com essa pratica.
Aguardem o próximo capitulo.

publicado por drtakeshimatsubara às 16:09 | comentar | favorito