O BRASIL QUE RESULTOU DAS URNAS

O BRASIL QUE RESULTOU DAS URNAS Terminado o primeiro turno, temos cristalizado a polarização que se desenhava há 4 anos e que se agudizou nos últimos tempos. Nós contra eles, Coxinhas versus mortadela, esquerda contra direita, Bolsonaristas contra petistas. A grande maioria dos brasileiros, por todo o país, vestiu a camisa verde amarela e foi para as ruas, mostrar um desejo de mudança. Enquanto isso, o que fez a maioria dos políticos? Uma reforma política feita sob medida, que só privilegiava a eles mesmos, com uso de verbas públicas para arcar com despesas bilionárias para a farra nas eleições, propaganda eleitoral no rádio e televisão gratuitos, uso maciço da imprensa e da mídia para repercutir notícias criadas pelas suas assessorias. Tudo caminhava para a reeleição dos grandes caciques, para governadores, para o Senado e para a Câmara dos Deputados. O que fez o povo?! Mandou para casa a maioria deles !!! A família Sarney, Dilma Roussef, Eduardo Suplicy, Romário, Chico Alencar, Roberto Requião, Beto Richa, e tantos outros políticos que eram grandes lideranças, perderam o mandato. Em nosso Estado, Zeca do PT, Geraldo Resende, Waldemir Moka, e tantos outros perderam o seu mandato. Um capitão do Exército Brasileiro, que se candidatou inicialmente para Vereador, e depois reeleito inúmeras vezes para Deputado Federal, resolve se lançar candidato a presidente, contra tudo e contra todos. Sempre filiado a partidos pequenos, consegue o nanico PSL para se lançar na empreitada. Verba pública para campanha? Quase nenhum. Tempo para propaganda eleitoral gratuita? 7 segundos por dia. Visita praticamente todos os Estados do país, vai para todos os lugares onde tenha vôo de carreira, visita outros países, como Israel, Japão Coréia do Sul, Taiwan, e vai percebendo que algo de muito errado estava acontecendo com este pais. Um gigante, de tamanho continental, com uma natureza exuberante, com riquezas mil, cobiçado por todos os países do mundo, mas que vive uma situação de miséria, de penúria, com suas estruturas institucionais completamente destruídas, corrompidas, apodrecidas. Nenhum partido, aceita o cargo de vice-presidente de Bolsonaro, rindo da ousadia desse político que tenta fazer tudo ao contrário da prática comum Não se submete ao jogo político, que vigora desde sempre no Brasil, do toma lá dá cá. Não aceita fazer acordos espúrios e se lança sem apoio nenhum, sem nenhum marqueteiro para criar programas eleitorais lindos e bem arranjados. Consegue na última hora um General reformado, por outro partido nanico, que acrescenta 1 segundo ao seu tempo eleitoral. Qual foi o recado claro que foi dado pelas urnas nestas eleições de 2018? Que o povo não aguenta mais o jogo político, que vigora há 500 anos neste país, onde uma súcia de poderosos, se intitula dono do poder, negocia esse mesmo poder para obter vantagens pessoais e dos grupos políticos, e assim, nesse jogo de compadrio, se perpetuam, formando verdadeiros clãs políticos, como os de Romero Jucá, Jader Barbalho, José Sarney, Antonio Carlos Magalhães, Renan Calheiros, César Maia, Roberto Requião. etc. Alguns, ainda continuam, mas a grande maioria, foi varrida do mapa político por um eleitorado que se cansou de servir de massa de manobra a cada eleição. Mesmo com propaganda eleitoral abundante, com dinheiro público a rodo para tentar comprar votos, o povo deu um verdadeiro chega prá lá, A sociedade está num processo de eterna mudança. Após um período conservador, vem uma fase de liberalização dos costumes. Após a década de 60, com a pílula anticoncepcional, com o movimento hippie, o movimento de revolta estudantil o movimento feminista, a sociedade deu um grande avanço, em matéria comportamento social. Após 30 anos de governos de esquerda, a sociedade está cansada de tanta liberalidade. Após medidas governamentais, para implantar propostas ditas progressistas no sistema educacional e com leis liberalizantes, as pessoas estão dando um sinal claro de preferir uma guinada para o conservadorismo. Valores como igreja, família, combate a propostas de liberalização do aborto, liberalização das drogas, que fazem parte dessas propostas progressistas, causaram uma reação contraria na maioria das pessoas. A grande maioria da população brasileira, é conservadora. Preza pela sua família, frequenta missas e cultos religiosos, ouve desde sempre padres e pastores que pregam contra o consumo de álcool, de drogas, contra o aborto e pela defesa da família tradicional heterossexual. A atitude dos últimos governos de esquerda, ao tentarem forçar a barra e implantar a ideologia de gênero nas escolas, as festas da família, proibindo as festas no dia dos pais e das mães, sob a alegação de que existiriam famílias formados por dois pais ou duas mães homossexuais, não foi tolerada por essa sociedade conservadora e tradicional. Associado a tudo isso, escândalos de corrupção se sucederam em série, durante os governos do PT. Iniciou com a CPI dos Correios, mensalão, petrolão e culmina com a Operação Lava Jato, que prendeu toda a principal cúpula do PT e dos partidos aliados. Dentre eles o líder mor, Luis Inácio Lula da Silva. O que as urnas mostraram é que Jair Messias Bolsonaro conseguiu capitalizar os principais anseios de uma sociedade que se sente farta de tanta corrupção, de tantos programas governamentais que mexem com seus valores morais, de tantos programas liberalizantes e discursos progressistas. A sociedade brasileira está demonstrando que pede muito pouco: que quer líderes que governem pelo exemplo, que sejam frugais nos gastos consigo mesmos, que não precisam andar em limousines blindadas, morar em verdadeiros palácios, rodar o país e o mundo a bordo de jatinhos luxuosíssimos, cujas despesas, dariam para bancar hospitais, creches, escolas, salários decentes para professores e policiais. Que quer que haja responsabilidade no trato com a coisa pública. Que juízes, promotores, políticos, abram mão de suas mordomias, de seus auxílios moradia, auxilio saúde, auxilio terno e outros que acabam dobrando os salários ou mesmo triplicando os mesmos, quando a maioria das pessoas têm salários baixíssimos, que mal dão para as despesas do mês. Por isso, a polarização entre Jair Bolsonaro e o PT, para presidente, é uma luta entre um futuro desejado e um passado, que nos envergonha. Tudo que a população está pedindo é que o nosso futuro possa ser menos sombrio e possamos recuperar a esperança de dias melhores. A dicotomia direita contra esquerda, na verdade, se resume em Estado Mínimo versus Estado Maximo! A sociedade não aguenta mais pagar tantos impostos, que oneram mais da metade dos ganhos de qualquer cidadão de classe média, para sustentar uma máquina tão perdulária, corrupta e que não oferece o mínimo de saúde, educação, segurança e infra estrutura, quesitos básicos que todo cidadão se acha merecedor de receber de volta, diante de tanto imposto que paga! E as propostas de governos de esquerda, no caso, a proposta de Fernando Haddad, é de total irresponsabilidade fiscal, de retirada de tetos de gastos, de aumentos das despesas, de aumento de salários de funcionalismos, enfim, soa como provocação, como os franceses às vésperas da Revolução Francesa, quando o governo de Luis XV aumentava dia a dia a cobrança de impostos sobre a população faminta, enquanto a nobreza se esbaldava em festas e bacanais nos palácios. Portanto, quem tem olhos para ver e ouvidos para ouvir, que fique atenta aos claros sinais emitido das ruas e que se cristalizou nas urnas, neste dia 7 de outubro de 2018. A população está `a beira de uma revolução. Qualquer atitude temerária da esquerda, qualquer provocação, neste momento, tipo fraudar as urnas e dar a vitória para o petista, quando toda a população sinaliza que não quer essa continuidade, poderia desencadear uma reação em cadeia, cujos resultados poderiam ser catastróficos para a nossa unidade como país. Que o alerta das urnas seja ouvido com bastante carinho e cuidado!!! BRASIL ACIMA DE TUDO, DEUS ACIMA DE TODOS!!!

publicado por drtakeshimatsubara às 03:54 | comentar | favorito